Criança de 3 anos morre por omissão de atendimento no hospital municipal de Tutóia-MA, Diz agente de saúde da família ouça o Áudio - BLOG DO ILDER COSTA

quarta-feira, 18 de março de 2020

Criança de 3 anos morre por omissão de atendimento no hospital municipal de Tutóia-MA, Diz agente de saúde da família ouça o Áudio



Faleceu hoje pela manhã Elisa, uma criança de 03 anos, moradora da comunidade de Porto de Areia que veio a óbito por omissão de atendimento no Hospital Municipal de Tutóia, o Lucas Veras. Segundo a Agente de Saúde, Mari Keila. Ela afirma que Elisa morreu por descaso e omissão.

Fala da Agente de Saúde Mari Keila que acompanhou a criança:

O texto é uma transcrição de um áudio, concedido pela agente de saúde que indignada, resolveu expressar, sua dor, sua indignação.

Leia e logo após, ouça o áudio:

“Eu sou uma agente de saúde, indignada, por conta que, por três vezes, o posto PSF do Porto de Areia, com nossa enfermeira excelente, do Porto de Areia, fomos visitar a criança por duas vezes juntamente da nossa médica que atende as quintas-feiras no nosso posto. Ela foi visitar a criança e encaminhou tudo direitinho, pois ela viu que a criança não tava bem.

 A criança não tava bem, veio à primeira vez para o hospital, eles não internaram. Perguntaram o quê que a criança tinha, a mãe não sabia dizer, claro, tava trazendo para o hospital porque não sabia.

Botaram a criança de volta pra casa. E pela segunda vez ela (a mãe da criança) foi na minha casa, (casa da agente de saúde) a minha filha não ta bem.

Levei novamente a enfermeira, enfermeira a criança não tá bem e por mais uma vez a médica foi acionada, a médica encaminhou um ultrassom, pois a criança tava com a barriga inchada encaminhou um ultrassom pra vim fazer no hospital.

 Veio pela segunda vez para fazer um ultrassom ou internar. A  criança simplesmente foi mandada pra casa simplesmente foi mandada de volta pra casa, não internaram a criança não sei por quê, foi pela segunda vez pra casa.

De novo a criança passou mal, tava com a respiração ofegante, tava com dificuldade de respirar, a barriga inchada.

Pela terceira vez a mãe diz (Meire Keila, a minha filha não tá bem, não vou levar logo pro hospital porque eles não internam).

Foi preciso a enfermeira intervir e falar com a chefe de plantão aqui ( , ela nem recebeu a criança, a chefe de plantão.  Diga-se de passagem.

Pela terceira vez a criança veio e foi mandada de volta para casa.

Tivemos que acionar pela quarta vez, pela quarta vez, foi pela quarta vez porque a enfermeira disse: gente atende essa criança, essa criança não tá bem, foi que internaram. Internaram só pra dizer, porque mandaram pra Paulino Neves, pra fazer os exames. Eu não sei porque não fazem exames aqui, ninguém me explicou. Foi pra paulino Neves pra bater um Raio-x lá e até ontem eu vim visitar a criança meio dia. A criança não tava medicada, não tava conseguindo tomar nada porque vomitava, não injetaram nada na criança intenderam?

A mãe da criança que não estava se sentindo bem, negaram atendimento pra ela.

E ai, o resultado é: que por omissão de atendimento, foi preciso quatro vezes a criança vir pra se internar, pra morrer. Por que há uma semana a criança tava doente, vinha e voltava, vinha e voltava e eles não internavam. Estamos indignados por mais uma vez porque foi omissão, só deram remédio para alergia e a criança não tava alérgica.

Agora sim, saiu o resultado do exame, a criança tava com pneumonia; tava com retenção de liquido na região pélvica, Isso foi o que eles disseram (hospital Lucas Veras).

Não houve nenhum olhar humano, o médico nem olhava a criança, nem tocavam na criança.

Não se sabe o nome do médico, pois nem a enfermeira de plantão sabia o nome do médico .



OPINIÃO

É preciso que o município de Tutóia e o Ministério Público  apure este caso e responsabilize  aqueles que omitiram ou fizeram pouco caso no atendimento da criança.



Do Blog Leandro Rocha

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial

Post Ads

RESPONSIVE ADS HERE

Páginas